2017-11-27

Marceleca e a chuva

Iai!

Muito antigamente, no tempo que o mundo era Rumbo (piadinha interna), eu fiz uma semana de posts nesse mesmo blog dedicado ao transporte público de São Paulo e me lembro que num determinado dia da semana, eu comentei sobre a chuva e o comportamento dos usuários de ônibus em dias tão molhados.

Hoje volto a abordar esse tema, e mais...

Hoje em dia eu utilizo ônibus e metrô como meio de chegar ao trabalho e voltar pra casa. E hoje, acordei ao som da chuva (que por sinal, quando bate na janela da alumínio que tem em casa, mais parece um tijolo caindo e não pingo).

Pois bem, pra entrar no ônibus foi "suave". Apesar de ter bastante lugar pra sentar, TODAS as janelas estavam fechadas e o ar dentro daquele veículo quente e pesado. O famoso "calor humano". As pessoas não percebem que esse ar parado não faz bem a saúde? Não pode abrir nem uma frestinha da janela? Se cair um pingo na testa, derrete? As pessoas agora são feitas de açúcar e eu não tô sabendo??

Mas enfim... Me lembro como se fosse agora que eu pensei em ter descido no ponto atrás da estação, mas abortei a ideia porque achei que me atrasaria. Devia ter seguido minha intuição...

Ao chegar nas proximidades da estação do metrô, vi um congestionamento na calçada que não era nenhum pouco normal, mas continuamos, eu e meu fiel guarda chuva.  Eis que logo descubro que o cruzamento antes de chegar na estação, não era mais um cruzamento, e sim um piscinão, onde as pessoas ou colocavam os pés inteiros na água suja, ou colocavam os pés inteiros na água suja. E pra melhorar, cada ônibus que passava, fazia uma "mini" onda que saía molhando quem estivesse aí.

Resumindo, tive que colocar o pé inteiro na água suja, molhe o tênis, meia novinha 😭 e a barra da calça. E o melhor: Marceleca está gripadinha da estrela, tadaaaaa!! Com direito a febre e tudo!

O que eu fiz? Parei na primeira lojinha que eu sabia que vendia chinelo, comprei um e fui trabalhar. Sim, DE CHINELO! Ao chegar ao trabalho, coloquei as meias e o tênis (com jornal dentro) na saída de ar da CPU e trabalhei LINDA de chinelinho Havaiana, até a hora do almoço, que foi quando tudo secou.

Agora, minha pequena crítica: eu sei que a prefeitura não colabora e não faz uma limpeza master no sistema de escoamento de água, mas a galera podia ajudar e não jogar lixo na rua neeeeaaah? Se cada um fizesse a sua parte, a cidade não alagaria tanto, e se alagasse, o escoamento seria mais rápido, neeeeeaaah?

NÉ!

E é isso.

2017-11-24

Marceleca e a Black Friday

Iai!

Bom, vou aproveitar que hoje é O dia para tecer comentários sobre a Black Friday, ou como alguns carinhosamente chamam de "Black Fraude". Escrevi o texto todo sem citar nomes, mas agora eu vou dar nome aos bois...

Nos últimos anos fomos meio que bombardeados com "ofertas sensacionais" de produtos diversos, onde o lojista tinha um valor X, no dia seguinte dobrava o valor só para vender "pela metade do preço" no dia da promoção. Alguns brasileiros, os desavisados, acabavam comprando pois não se atentaram ao detalhe da picaretagem.

Mas muita gente percebeu a manobra e começou a reclamar!

Eu nunca fui de correr atrás de descontos e promoções relâmpago, pois se eu quero algo, eu vou lá e compro e pronto, acabou! Mas tem coisa, como por exemplo jogos e eletrônicos, que eu comecei a "botar reparo".

Não é segredo pra ninguém que eu sou uma viciada em games, de todos os jeitos: de dança, de simulação de vida, de luta, guerra, corrida... Só não de futebol porque né...

Vez ou outra, fora da temporada de Black Friday, a Origin, desenvolvedora de jogos de simulação de vida, lança promoções, que realmente valem a pena! Já cheguei a pagar R$ 20,00 numa expansão do The Sims que custava R$ 80,00.

Mas confesso, desde o ano passado eu tenho me beneficiado da sexta feira de descontos. Minha passagem para Seoul com a Emirates foi comprada com desconto da Black Friday, paguei baratinho para viajar para o outro lado do mundo.

Hoje, olhando muito despretensiosamente no site da Saraiva, me deparei com um desconto de R$ 400,00 no preço de um Atari. Comprei? Mas é claro!! Como não aproveitar um console de R$ 200,00 né?

Por isso eu falo pra meus queridos amigos que procurem, mas com calma, que sempre tem alguma coisa muito boa.

E é isso...


2017-11-23

No almoço o bicho pega

Iai!

Hoje o desabafo é sobre o horário do meu almoço.

Atualmente estou trabalhando em uma empresa no bairro da Liberdade, em São Paulo, e como muitos devem saber, esse é o bairro da colônia japonesa em São Paulo. Mas não só de japoneses vive a Liberdade.

Aqui podemos encontrar alguns coreanos 💕, chineses 😭 e orientais em geral.

E é claro, aqui podemos encontrar uma infinidade de estabelecimentos voltados para a culinária oriental. Aqui é possível encontrar pratos como guioza, bibimbap, yakisoba, sushi, entre outros.

Mas é isso! Tirando um McDonald´s aqui, um Subway ali, uma pastelaria acolá, não tem muitas opções do que comer.

Tudo bem que eu não sou uma descendente fiel de italianos e não sou chegada a massa, mas até isso eu ando sentindo falta. E por mais que eu goste de um lanche, comer todo dia, além de enjoar, faz mal.

Já me disseram pra andar até a Sé e comer nos restaurantes que tem por lá, mas eu não vou arriscar ser assaltada em plena luz do dia.

Trazer marmita é algo que eu já pensei, mas que já foi vetada imediatamente pela minha progenitora, que disse que não vai fazer um batalhão de comida pra que eu almoce e "economize uns trocos" do meu vale refeição. E eu como uma excelente dona de casa que sou, não sei fazer nem um ovo frito hsuahsuahsua.

Cara, não tem um pão de queijo, uma coxinha! Perto da República onde eu trabalhei aproximados 10 anos, que tem "centas" opções, aqui deixa a desejar.

Em menos de 3 meses me vejo enjoada de uma culinária que eu tanto gosto... Como faz? Acho que vou começar a almoçar Club Social e suco Mid...

E é isso!

2017-11-17

Voltei...

Iai!

Resolvi voltar com o blog, não p/ deixar público, porque aprendi a não dar a mínima para a opinião alheia, mas mais como uma forma de desabafar, tirar de mim as coisas que me dão "aperto no coração".

Assuntos podem ser de qualquer coisa, família, dinheiro, trabalho, minhas vontades, medos e sonhos.

Hoje queria por p/ fora algo que me incomodou logo cedo, no trabalho, que foi a linda notícia de que o plano de saúde vai ser cobrado retroativo, desde a data que eu fiz a solicitação, em Setembro, e não desde a data da aprovação que foi no final de Outubro. Ou seja, serão cerca de R$ 900,00 a menos no meu salário do mês que vem...

E daí eu pergunto: paga conta como? R$ 900,00 é um valor considerável! É praticamente o valor da minha fatura do cartão...

E o que me deixa mais puta da vida é que, no país que vivo atualmente, essa MERDA de Brasil, ficar sem um plano de saúde e depender somente do sistema de saúde público é algo impensável.

Ou seja, vou ter que aguentar calada esse desconto. Calada, pobre e ainda com um sorriso no rosto. É foda!

Vou respirar fundo, erguer a cabeça e pensar que poderia ser pior e eu poderia estar desempregada. Mas estou trabalhando numa empresa bacana, pequena, que valoriza as pessoas pela capacidade profissional e não pela cor do cabelo ou se a pessoa tem ou não tatuagens, como a empresinha de fundo de quintal que eu trabalhava no começo do ano.

Bom, p/ um primeiro desabafo, acho que já tá bom...

E é isso...